Ele é casado!!! E agora?

Um cantinho virtual para quem vive um amor inteiro apenas no coração...

07 julho, 2005

"Tive que roubar esse beijo, senão...!"

Quero agradecer os comentários. Fiquei muito feliz com a gentileza e sinceridade de vocês. Realmente não é fácil a situação. É preciso ter mais do que coragem, bem mais. Nem sei de onde tiro tanta força para agüentar.

Mas... também não há só o lado ruim. Um exemplo: eu adoro poesia e Paulo adora música. Ele admira cantores-compositores e suas letras maravilhosas. Eu arrisco alguns versos, escrevendo poesias. Iniciamos uma troca de letras de canções e poesias por e-mail e acabamos descobrindo como apreciamos os mesmo temas. Porém, o mais interessante de tudo: Paulo começou a escrever também. Já fez quatro poesias. Está bem... é meio suspeito eu falar algo, só que é verdade. Ele tem talento como poeta.


Domingo estivemos juntos durante a tarde. Como sempre, falamos muito (é incrível como arrumamos um assunto atrás do outro), rimos muito, lanchamos no McDonalds, e, sem que eu pedisse ou perguntasse, Paulo contou-me sobre a vida de casado. Não pense que ele detonou a esposa. Nada disso! Falou que ela é uma boa pessoa e hoje nada tem a reclamar sobre ela. Tanto que não quer magoá-la. Contou outras coisas mais, porém é assunto para outros posts. ;-)

Talvez pareça estranho (tudo nesse relacionamento soa estranho pra mim rs) o que eu vou dizer agora, mas tenho que contar. Da primeira vez que saímos como "namorados", não nos beijamos. Eu queria muito que isso acontecesse, só que me sentia tão culpada por estar com um homem casado que preferi manter distância. Pra minha alegria, Paulo não insistiu. A única coisa que fez foi me dar um beijo na testa antes de ir embora.

O primeiro beijo só aconteceu quase um mês depois. De repente, no meio da conversa, Paulo me disse: "Chris, quero um beijo." Eu estava tãooo nervosa que a única coisa que fiz foi começar a rir. E o beijo? Nada! Passamos a tarde toda no shopping, conversando mil coisas. Só depois que saímos é que ele repetiu a pergunta. O nervoso continuava, mas dessa vez não ri. Apenas olhava pra ele. Então ele se aproximou e me beijou demoradamente. Logo que se afastou foi dizendo: "Tive que roubar esse beijo, senão...!" rs

Quer saber por que contei isso? Porque naquele dia percebi que não era nada físico o que nos unia. Havia respeito de verdade. A prova disso foi o beijo na testa que Paulo me deu quando me recusei a beijá-lo. Ele é diferente. Tenho percebido isso a cada dia.

Moral da história:

"O amor é o nosso estado natural quando não optamos pela dor, pelo medo ou pela culpa."
Willis Harman/Howard Rheingold

2 Comentários:

  • Em 14:28, Anonymous Wallace Puosso disse…

    Chris, boa sorte com o seu novo amor... O negócio é esse: ser feliz, sempre! Valeu pela visita ao meu blog! Bjs, Wally

     
  • Em 10:04, Anonymous Raphael disse…

    Ele sabe como demonstrar afeto...

     

Postar um comentário

<< Home